7.04.2008

Terra Maldita

Com a minha professora Roberta Testa e meus amigos do quarto nível no CEB fizemos algumas narrações. Esta é uma:


Tinha feito sol no dia anterior, mas agora estava fazendo o frio mais horrível da minha vida toda! Eu não acreditava nesse frio de morte. Não esqueci e fiz as últimas compras no aeroporto: o livro de molhos e milho que eu estava procurando desde dezembro, e duas garrafas de tequila. Fiz o cheque e a menina perguntou se não tinha cartão de crédito. "Não!", respondi. Neste país ninguém usa cheques. Na semana anterior havia feito as malas e não foi fácil achar um lugar para as garrafas. "Pode me fazer um favor", eu disse á menina. "Ponha também 20% de gorjeta". Queria fazer todos os pagamentos a essa gente esquisita e malvada desse país com o tempo mais escuro que eu conhecia. Ía fazer frio todo o vôo. Não importava mais. Eu estava fazendo a viagem para nunca mais voltar a essa terra maldita.

2 comentarios:

Lucas Ferreira dijo...

Muito interessante.

Qual o contexto dessa narraçao Tonatiuh? Esta fazendo aulas de Portugues?
Parabéns pela iniciativa.

Abraços

Lucas Ferreira

T. E. Damian Serna dijo...

Olá Lucas, estou fazendo aulas sim no Centro de Estudos Brasileiros da Embaixada do Brasil em México.
Só é um texto para praticar os tempos verbais que estivemos aprendendo.
Em gerai, e como uma foto de alguém que retorna o seu país depois de passar um tempo em México.

Grato que gostou!

Abraços.